quinta-feira, 7 de junho de 2007

Índia, 0,09%

Uma das estratégias de política económica do Executivo de Sócrates tem sido a de procurar aumentar as exportações para os países fora da União Europeia, como o Brasil, a Rússia, a Índia, a China e Angola, reduzindo a dependência da Europa e aproveitando os elevados ritmos de crescimento dessas economias, como disse o secretário de Estado Adjunto do ministro da Economia e Inovação, Fernando Serrasqueiro no final de Maio, em entrevista à agência Lusa.

De acordo com o mesmo artigo (dados do ICEP, de finais de 2006), são estas as percentagens que estes cinco países detêm no bolo das exportações portuguesas (75% intra-UE: só um quarto das nossas exportações cruzam as alfândegas comunitárias...). O peso da Índia fala por si. Ou, melhor, de nós.

Angola 3,6%
Brasil 0,76%
China 0,64%
Rússia 0,32%
Índia 0,09%

1 comentário:

  1. Observador1:06 da manhã

    O que quer dizer com este artigo? Que os portugueses são preconceituosos em relação aos países de terceiro mundo? O facto é que será na Presidência portuguesa da União Europeia que será feita a Cimeira UE-Índia, cimeira que vem no seguimento da Cimeira de 2000 (que levou o então Primeiro-Ministro Atal Bihari Vajpayee a Portugal), também ela organizada na presidência portuguesa da UE, e onde se aprofundará a recente relação estratégica UE-Índia. Penso que será também neste ano que o Primeiro-Ministro José Sócrates visitará a Índia. O problema a nível das trocas comericiais é mais económico que político.

    ResponderEliminar